Arquivo do Autor

Publicidade e investimentos: noções básicas

Postado por Pedro Stark em 06/dez/2017 - Sem Comentários

No Brasil, a publicidade é vista como um bem supérfluo e de luxo. Em momentos de crise, como o atual, um dos primeiros setores de qualquer empresa a sofrer cortes massivos é o de publicidade e marketing. Tal fato mostra uma infantilidade do empresariado brasileiro. Atualmente o Brasil é um dos países que apresenta maior retorno financeiro sobre o investimento da publicidade. Divulgado recentemente pela Associação Nacional de Jornais (ANJ) a publicidade no Brasil é 35% mais rentável que na Europa. Os dados foram extraídos das pesquisas comparativas entre publicidade e impacto no PIB “The economic contribution of advertising in Europe” e o “Impacto da Publicidade na Economia do Brasil”.

Investimento

Foto por Carlos Muza publicada no Unsplash

Matematizando a publicidade

Quando se trata de publicidade, a grande questão não é a dúvida sobre os retornos possíveis, mas sim qual o volume desse retorno e qual o montante financeiro de investimento. O ponto principal de qualquer campanha publicitária é que o valor investido nesta não deve superar seus próprios frutos, segundo Carlos Alberto Miranda, CEO do fundo de venture capital BR Opportunities. Porém, é muito difícil estimar o valor investimento inicial. Logo, as formas mais fáceis para verificar o montante ideal são: realizar uma pesquisa inicial de disposição a pagar (DAP) e posteriormente verificar a sustentabilidade do projeto.

Como calcular:

  1. Investimento:

I=P+(Lançamento da campanha+Sustentação por n períodos)

      2. Retorno:

VCVs=VadCMadDOFadIMPv=Retornos

Onde;

VC = Vendas previstas com a Campanha por n períodos

Vs = Vendas anteriores sem a Campanha por n períodos

Vad = Vendas adicionais a serem obtidas com a Campanha

CMad = Custos das Mercadorias adicionais a serem vendidas

DOFad = Despesas Operacionais e financeiras adicionais

IMPv = Impostos referentes às vendas previstas

Além de todas as decisões financeiras é muito importante decidir qual o objetivo da campanha. As firmas devem ter em mente, no mínimo, um dos seguintes objetivos:

∙  Incremento nas vendas

∙  Aumento percentual ou final nos lucros

∙  Incremento na participação no mercado

∙  Superação do Ponto de Equilíbrio

∙  Melhora do Fluxo de Caixa

∙  Taxa de retorno sobre Investimento

∙  Índice de Lucratividade

∙  Valorização do GoodWill da Empresa

∙  Minimização de riscos

∙  Alavancagem operacional e financeira

Macroeconomia

Além da melhoria na conjuntura interna das empresas a publicidade possui eficiência macroeconômica. Em estudo publicado em 2014 pela empresa de consultoria financeira Deloitte e encomendado pela Associação Brasileira das Agências de Publicidade (Abap), notou-se o impacto da atividade publicitária na economia do país. Segundo os cálculos, cada R$ 1 investido em publicidade gera, em média, um retorno de R$ 10,69. E a cada variação de 1% no investimento publicitário desencadeia variação de 0,07% no Produto Interno Bruto (PIB) per capita. No mesmo ano foi possível verificar também que o investimento de R$33,5 bilhões em publicidade no cenário nacional gerou um valor adicionado no PIB de R$358 bilhões.

É preciso entender que o meio publicitário é parte do caminho para o fim da crise e não apenas um gasto desnecessário. E segundo relatórios mais recentes do Fundo Monetário internacional (FMI), a solução é crescer e aquecer o cenário econômico, do qual a publicidade é peça fundamental.

Fonte: http://www.abapnacional.com.br/

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com